amores expresos, blog da CECÍLIA

Monday, October 8, 2007


A Torre da TV, no Mitte (em bom português, centro ou meiúca). Sempre que eu andava por seis horas e me descobria do outro lado da cidade, incapaz de compreender como tinha chegado até ali a pé, mirava na torre distante, às vezes um naco dela, e caminhava mais seis horas de volta de olho naquele sinal. A Fernsehturm era o alvo. A recompensa era turca e apimentada. Comida que aqui não ousamos.


Um doce pra quem descobrir o que funcionava nesse lugar que só abria à noite:
1) uma casa de Go-go boys
2) uma barraquinha de cachorro quente em que a salsicha se ausentava (tipo nosso pastel de vento, hence the asinhas)
3) uma boate com lotação máxima de 15 pessoas



A entrada da minha casa em Berlim, em Kreutzberg, onde os turcos e muçulmanos em geral foram bacanas comigo (até as mulheres, que aparentemente não tinham interesse em comer gente) e guardaram minhas malas enquanto o alemão que alugou o apartamento não aparecia (cinco horas de atraso).


De vez em quando eles alopram. Toda semana. Toda noite. Não tenho nada a ver com essas garrafas.